Obreira Janaina viciou em dar o cu para o pastor da sua igreja

Obreira Janaina viciou em dar o cu para o pastor antes de começar o culto, leia o conto erótico abaixo.

Importante: Esse conto erótico é heterossexual, mas o nosso site continua sendo focado no público gay.

Inicio do conto.

Sei que o site é gay, mais venho até aqui porque eu adoro ver as imagens de homens de pica grande que são postadas aqui. Depois de ler vários comentários no picante e proibido, criei coragem e vou relatar o que me tem ocorrido desde uns dois anos atrás até a presente data.

Sou evangélica desde minha criação e casei-me com também um cervo de deus.

Por favor não me julguem pelo que vou-lhes contar, pois não sei se tenho total responsabilidade pelos fatos.

Moramos em uma pequena cidade do interior Paulista.

Não posso dar muitos detalhes pois morro de medo de ser identificada (nesta cidadezinha todos se conhecem). Eu e meu marido temos uma convivência normal (comum) para um casal de 9 anos de união (não temos filhos). Temos relações sexuais não tão frequentes (uma vez por mês mais ou menos) e do tipo bem tradicional (papai-mamãe bem rápido), anal nem pensar.

Todas as segundas-feiras, quartas e domingos, já bem cedo na manhã, vou até a igreja onde sou obreira (as irmas que participam do culto auxiliando o pastor e os irmâos).

Normalmente chego as 6:00 da manhã (sou a responsável por organizar o material que será utilizado no culto – somos ao total de 4 obreiras) e o culto começa em torno das 8:00 horas.

Como tudo começou.

Ha uns dois anos atrás recebemos a presença de um Pastor novo vindo do estado de Pernambuco (Recife). Mais precisamente auxiliar de Pastor (na ausência do Pastor principal ele substitui e ministra o culto). Desde o primeiro momento que eu o vi fiquei bem impressionada. Ele não é alto (+/- 1,68m) mas forte (musculoso) e negro(jambo), porém não gordo (apenas forte).

Eu sou baixinha (+/- 1,58m), não gorda porém com bastante seios, uma cintura media para grande e uma bunda com um bom volume (não gorda porém sou uma mulher com volume e redondinha). Assim que tivemos um primeiro contato, ele se mostrou bastante atencioso comigo. Após algumas semanas já estavamos bem amigos. Um dia conversando ele me questionou sobre o meu relacionamento com o marido, eu o respondi: “Somos felizes como dois bons irmãos.”

O assedio do pastor.

A partir de então seu assédio teve início e começamos a ter relações sexuais (somente anal e oral). Eu nunca havia feito sexo anal antes, porém após umas três ou quatro vezes fui me acostumando e gostando. Uma vez perguntei-lhe porque ele queria só o anal e ele respondeu-me que a minha vagina deve ser só do meu marido, além de não engravidar.

Obreira Janaina dar o cu para o Pastor antes de começar o culto.
Assim que chego, subo as escadas (ao lado do salão) até onde fica a salinha do pastor, comprimento-o e quase já ficou meio automático, não nos falamos muito, ele me posiciona de bruços em sua mesinha de trabalho, levanta minha saia, abaixa minha calcinha, com as duas mãos abre bem minhas nádegas e dá uma cuspida (só nas primeiras vezes ele fez uso de óleo ungido), desbotoa seu cinto, desce as calças, aponta seu pau para a entrada do meu cu (pau não tão grande +/- 18cm porém bastante grosso e com uma cabeça do tamanho de um limão grande).

Como o pastor fode meu cu.

Põe a cabeça dentro, espera um pouco (acho que para o anus dilatar e acostumar) em seguida ele enterra tudo de uma vez (neste momento até fico vesga e dou uma gemida forte do tipo aaaaaiiiiiii….). Nas primeiras vezes gemi de dor mesmo mas agora gemo de gostoso e tesão. Ele deixa um tempo maior o pau todo enfiado (sinto suas bolas que são grandes encostarem em minha vagina). Em seguida ele começa com estocadas fortes e cadenciadas (com ritmo rápido e constante), neste ponto já não sou mais dona de mim (me sinto totalmente possuída e submissa ao meu macho como toda mulher gosta de se sentir).

Depois de uma meia hora ou mais de bombadas no meu cu, já nem sinto muito mais,só dá uma certa vontade de fazer cocô e sinto que o ânus ficou relaxado. De vez em quando forço o ânus para fechar e apertar seu pau (porém a cada vez mais sinto que o cu perdeu a pressão que tinha antes) ou seja, o Pastor tá me deixando com o cu frouxo e arrombado.

Mas como pode-se ler nos comentários, nós (mulheres) ficamos preocupadas com este fato (ficar com o anus frouxo), porém a vontade de fazer novamente e o tesão envolvido são mais fortes (algumas usam o termo viciar).

O local onde o pastor me come.

Nesta salinha, além dele trancar a porta com a chave, tem uma janela de vidro que dá visão às escadas(se por algum motivo alguém chegar dá pra ver, isto ocorreu apenas uma vez em que o Pastor principal iria viajar e precisou pegar algumas coisas nesta sala- porém nunca fomos flagrados).

Num determinado momento, ele enterra o pau bem fundo e começa a ejacular (uma ejaculação com bastante volume – quando faço oral e engulo o seu semen, preciso engulir em duas etapas), sinto seu pau latejar e aumentar de tamanho, porém não sinto o esperma lá dentro (mas sei que estou com o anus cheio de semen). Depois de ter uma má experiência de marcar a saia (mancha de esperma atrás), aprendi e assim que ele termina, eu me levanto vou até o banheiro, faço um chumaço de papel higiênico e tampo o anus com se fosse um modex.

Então nos despedimos com um beijo suave, desço as escadas até o salão (prendendo o anus com força para não vazar). Eu poderia ir no banheiro e soltar tudo, porém gosto de sentir o anus cheio de esperma durante todo o culto e só em casa (quando chego em casa o marido já saiu para trabalhar e fico a vontade, vou ao banheiro e solto todo o esperma, só então me dou conta do buraco que ficou o meu cu, fazendo barulhos fortes e altos de ar).

Fico no culto com o cú cheio de porra.

Durante todo o culto (mais ou menos até as 8:00 horas da manhã), procuro me concentrar em fechar o anus com força para não vazar nada. Procuro não fazer coisas que exigem muito esforço físico, pois sei que provocaria um peidão barulhento de cu frouxo e meleca toda a minha calcinha com esperma e talvez fezes.

Nas primeiras vezes ocorreram alguns acidentes (evacuar fezes durante o ato), porém o pastor me ensinou a tomar um laxante leve e no dia anterior, fazer uma higiene com um kit comprado nas farmácias (uma bombinha para injetar liquido no anus e limpar retirando os resíduos de fezes).

Nos encontramos (eu e o Pastor) todas as segundas, quartas e domingos, ás vezes, sinto que o anus não está muito receptivo e faço-lhe um oral (sempre engolindo todo o esperma, também nunca havia feito, porém o Pastor me ensinou uns truques para não sentir muito o gosto, deixar tudo no fundo da boca e engolir rápido, agora já me acostumei e até gosto, as vezes tomo a iniciativa e digo que estou com vontade de engolir).

Gosto de com uma mão ficar punhetando o seu pau, com a outra seguro suas belas e grandes bolas, e assim que percebo que ele vai gozar ou ele me avisa, ponho a cabeça dentro da boca (fecho para não vazar) e vou recebendo as golfadas de seu esperma no fundo da boca. Normalmente sua ejaculação me proporciona duas goladas (se eu não engolir em duas vezes não cabe tudo de uma vez só).

A mudança na minha vida depois que o pastor começou a me comer.

Percebo que após nosso relacionamento tenho sido uma mulher mais calma, feliz e satisfeita (dizem que o esperma contém hormônios que fazem bem ao organismo da mulher).
Acho que se ele quizer largo o meu marido e fico com ele. O prazo para ele ficar por aqui é de mais uns dois anos, então voltará para o Recife (talvez irei junto).

Não me julguem: A Biblia diz: ”quem não for pecador,atire a primeira pedra.”

Nota: O conto erótico acima foi enviado para o nosso site através de e-mail.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *